Gestão e EstratégiaMarketing

Devo dar meu nome para o consultório ou não?

Ao abrir um consultório odontológico, é preciso tomar uma decisão a princípio simples, mas que se torna complexa a medida que você pensa sobre ela: qual será o nome do consultório?Já abordamos esse problema em outro post do blog, com dicas de como escolher o nome de seu consultório. O foco dele era o processo criativo por trás da decisão, então isso não será tratado aqui. O que vamos fazer é discutir um ponto abordado apenas superficialmente por lá.
 

“Posso colocar meu nome como o nome do consultório?”

 
Essa pergunta é muito frequente e há toda uma discussão sobre ela. Quando precisam batizar o consultório, muitos dentistas decidem que basta colocar o próprio nome nele e pronto. Com isso nasce o “Doutor(a) Fulano(a) – consultório odontológico”.  Às vezes essa é realmente a solução. Em outros casos pode transparecer uma falta de planejamento prévio, acentuada pelo sucesso de seu trabalho ou até mesmo por acasos do destino. Por isso precisamos de conversar sobre os prós e os contras dessa decisão.
 
Comecemos com os prós. Colocar o nome do dentista faz com que o consultório se torne um ambiente pessoal, em que o paciente sabe de quem ele vai receber os cuidados, de forma a gerar uma sensação de proximidade. É um dos fatores que traz uma experiência única no atendimento, por exemplo. Essa é uma boa solução para consultórios menores em que apenas um dentista atende, com uma relação de contato maior com os pacientes e com as histórias de vida deles. É aquele típico caso em que seu paciente não fala “vou ali no dentista”, mas sim “vou ali no consultório do doutor Fulano”.
 
Por outro lado, manter o próprio nome também tem seus contras, sendo que o principal deles esbarra na expansão do seu trabalho. O nome se torna um problema quando você decide dividir o consultório com outro dentista. Ou quando seu consultório é familiar e a pessoa que dá nome a ele vem a falecer. Ou quando decide ampliar os atendimentos e transformar seu consultório em uma clínica maior. E esses são apenas alguns exemplos de como deixar o nome do proprietário como marca podem atrapalhar seu processo de crescimento.
 
Em todos os casos acima, é a personificação que se torna o problema. No primeiro, o paciente pode aparecer para se consultar com o Dr. Fulano, mas não ser esse Dr. Fulano que vai atendê-lo, gerando desconforto para o paciente e para o dentista que divide o consultório com você. No segundo caso, o paciente pode procurar o dentista e não vai encontrá-lo por lá, com o momento desconfortável de explicar a situação. No terceiro, toda a ideia de personalização do atendimento se esvai.
 
Por isso que é preciso prestar muita atenção na hora de escolher o nome de seu consultório odontológico. Saber quais as suas expectativas para e ter seu planejamento em mente te ajuda nisso. Pensar não apenas no hoje, mas também naquilo que seu consultório pode ser um dia. Tendo isso em mente, não há como tomar uma decisão equivocada.
 
rodape_ebook_planejamento_estrategico
Rodapé Cadastre-se-01

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *