Gestão e Estratégia

10 fatores que criam bons líderes

É quase impossível dar um conceito exato do que é um líder, já que ele varia muito de acordo com a fonte consultada. Alguns dizem que ele é aquela pessoa que inspira outros a seguirem um determinado caminho. Outros falam que é a pessoa responsável por motivar o time e caminhar junto com ele. Independente do conceito, um líder costuma ser caracterizado como “A” pessoa. Não é a toa que toda empresa de sucesso possui um forte líder como destaque. Se você deseja sucesso para seu consultório e para sua vida, não pode pensar diferente. Liderança é uma característica que pode ser trabalhada, então listamos aqui 10 fatores que contribuem para a criação de bons líderes:

1. Faça o que eu digo E o que faço
Quando um líder deseja inspirar seus colaboradores, deve fazer por onde. Dentre as diversas formas existentes para se fazer isso, uma das que mais influencia é utilizar o próprio exemplo. É ignorar aquele ditado “faça o que eu digo, não faça o que eu faço” e colocar na prática as ideias que são pregadas no dia a dia da empresa. Se você diz que valoriza o comprometimento e promove alguém por afinidade pessoal, por exemplo, você está passando a mensagem errada para seus funcionários. Claro que nenhum líder é (e nem deve desejar ser) perfeito, mas mostrar incongruências na forma de lidar com o trabalho e com as pessoas é a mesma coisa que mostrar que as regras estabelecidas não precisam ser seguidas.

2. Entenda como as outras pessoas enxergam o mundo
Uma característica marcante em bons líderes é a capacidade de ouvir o outro. Ela é essencial para entender melhor as pessoas com quem você trabalha para poder intervir, instruir, orientar, influenciar e extrair o máximo de cada uma delas. Além disso, saber ouvir também te abre para novas realidades. Perceber que todas essas visões são válidas ajuda na hora de debater uma ideia com alguém. Um bom líder sabe que não precisa estar certo o tempo inteiro. É preciso entender o outro e absorver aquela ideia, sem impor suas vontades acima de tudo.

3. Líder, mas não o tempo todo
Ninguém precisa vestir uma armadura de líder e sair por aí, até porque ela não funcionará em todas as ocasiões. Por mais que a pessoa tenha um perfil de liderança, a forma como uma situação precisa ser conduzida depende do contexto em que ela se insere. Quando se muda a situação, tudo muda junto e é preciso se adequar a isso. Às vezes nem é exigida uma liderança. Às vezes não se consegue exercê-la. Acontece.

4. Capacidade técnica não é tudo
Você já ouviu aquelas histórias sobre uma pessoa que é o melhor profissional da área, que executa seu trabalho com excelência e, quando é promovida para um cargo de liderança, tudo desanda? Pois é, isso acontece com frequência. Para ser um líder não é necessário ser o melhor em sua área, mas sim ter as habilidades necessárias para o cargo, principalmente as que envolvam relacionamento e gerência.

5. Cuidado com os ícones
Existem grandes ícones pelo mundo quando se fala em liderança. Grandes pessoas que estiveram à frente de grandes empresas, com práticas inspiradoras e que podem servir como fonte para a forma como você pretende liderar sua empresa. Apesar dessa influência ser positiva, deve-se levar em consideração uma coisa que dissemos antes: cada situação é única. Você pode querer ser o novo Steve Jobs, mas o contexto em que ele trabalhou é bem diferente do seu. Ninguém vai conseguir fazer exatamente o que ele fez, então repetir os passos não é sinônimo de sucesso.

6. Avalie-se
O processo de liderança é um aprendizado contínuo. A todo momento você precisa melhorar suas habilidades de influência, estilo de gerenciamento, abordagens etc. Para que isso possa acontecer de forma eficiente, é preciso fazer um trabalho intenso de autoconhecimento. Saber quais são seus pontos fortes e fracos para trabalhar em cima deles, obter orientação sobre seu processo de liderança e não ficar preso em um papel são só alguns exemplos do que pode ser feito a partir desse conhecimento próprio.

7. Peça ajuda
Ser um líder não significa que você será a pessoa mais capacitada para exercer todas as tarefas. Muitas vezes você nem terá o conhecimento suficiente para executá-las. Por isso não há mal nenhum em pedir ajuda de alguém mais experiente para realizar um trabalho específico ou mesmo atuar em alguma área de sua empresa. Saiba quando é o momento certo para usar essa carta.

8. Tenha uma causa
Números são importantes. Poucas coisas são mais prazerosas para uma empresa que ver suas metas batidas e todos os envolvidos satisfeitos com isso. Apesar disso, os números não são tudo. Líderes bem sucedidos não trabalham em função deles, mas sim por um ideal, por uma causa maior. Os melhores CEOs são levados por sua paixão de transformar sonhos em realidade.

9. Evite o ciclo do 8
Steve Tappin, CEO da Xinfu, destacou a principal armadilha para 80% dos CEOs: o ciclo do 8. Nesse, o líder sente que está sobrecarregado de tarefas e começa a delegá-las a pessoas de confiança. Algum tempo depois ele percebe que não está completamente satisfeito com os resultados e toma as tarefas para si, reiniciando o ciclo apresentado. Para evitar que isso aconteça, você precisa confiar em sua equipe e estar cercado de pessoas excepcionais a sua volta, além de ir contra aquelas pessoas cujo desempenho não é consistente.

10. Preocupe-se com o além do consultório
A pressão do trabalho pode fazer com que você deixe amigos e família de lado para se dedicar 100% ao trabalho. Passar várias horas extras na empresa e levar trabalho para casa é sinal de que você não pretende desligar suas atenções e que seu tempo livre é apenas para recarregar as forças para uma nova semana de trabalho. Dedique um tempo para descansar de fato e se dedicar às pessoas que você ama, de modo a não se arrepender no futuro.

Rodapé-LaudOnline-02

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *